Vacina Hexavalente – uma injeção que protege contra 06 doenças.

Vacina Hexavalente – uma injeção que protege contra 06 doenças.

      A vacina hexavalente está indicada para crianças a partir dos 2 meses de vida, com esquema de três doses (aos 2, 4 e 6 meses). Ela protege contra seis tipos de doenças em apenas uma picadinha. Para entender melhor os benefícios que esta vacina traz, vamos explicar sobre cada doença que seu bebê ficará protegido!
    É o que chamamos de “picadinha do bem”, pois algumas doenças só podem ser prevenidas através da vacinação.
DIFTERIA
Também conhecida como “crupe”, esta doença é causada por uma bactéria que vive na boca, garganta e nariz da pessoa infectada e produz uma toxina que pode gerar graves complicações, como a insuficiência cardíaca e a paralisia. Os sintomas são o surgimento de placas esbranquiçadas nas amígdalas ou laringe, presença de febre e calafrios.
TÉTANO
Quando os esporos da bactéria atingem o sistema nervoso causam contraturas musculares generalizada. A doença é extremamente grave e oferece alto risco de morte.O tétano não é transmissível de uma pessoa para a outra. Ocorre através de ferimentos na pele ou perfurações profundas que estejam contaminados com terra, poeira, fezes de animais ou humanas e que contenham a bactéria. Pode ser adquirido pelo bebê seja na hora do corte do cordão umbilical, devido ao uso de instrumentos contaminados, ou durante o tratamento do coto do umbigo, pela aplicação de substâncias infectadas.
COQUELUCHE
Também conhecida como “tosse comprida”, a coqueluche é causada por uma bactéria que vive na garganta das pessoas e pode ser transmitida através de saliva ao falar, tossir ou espirrar. Caracterizada por tosse seca e pela ingestão de ar, provocando uma espécie de guincho ou chiado, e quando ocorre repetidas vezes e de modo intenso, pode fazer com que a criança apresente coloração azul-arroxeada (cianose) pela diminuição da oxigenação do sangue que estas crises causam.
A coqueluche, pode causar ainda pneumonia, convulsões, comprometimento do sistema nervoso e morte. Quanto mais novo é o bebê, mais grave é a doença, que muitas vezes exige internação em UTI.
Hib – Haemophilus influenzae tipo b
Esta bactéria vive na garganta das pessoas e, mesmo sem causar doença no portador, pode ser transmitida por meio de tosse, espirros e respiração. Em pessoas não imunizadas, o Hib pode entrar na corrente sanguínea e espalhar-se pelo organismo, causando meningite, pneumonia, inflamação da garganta, otite, artrite, infecção da membrana que recobre o coração, infecção dos ossos, entre outros problemas sérios.
HEPATITE B
O vírus da hepatite B causa inflamação no fígado. Algumas pessoas tornam-se portadoras crônicas do vírus da hepatite B, e além de poderem transmitir a doença, a inflamação do fígado pode evoluir para cirrose — com destruição progressiva do tecido normal do fígado — ou câncer.
Quanto mais jovem for a pessoa, maior é o risco de desenvolver a doença de forma crônica, por isso os bebês devem ser vacinados nas primeiras horas após o nascimento. Esta é a melhor forma de assegurar que não pegarão a doença, mesmo que tenham sido expostos ao vírus, porque conseguirão produzir anticorpos antes que o invasor prolifere.
POLIOMIELITE
Também conhecida como paralisia infantil, esta doença acomete com maior frequência as crianças menores de quatro anos, porém adultos também podem adoecer.  Ela causa a paralisia nos membros inferiores de forma assimétrica, ou seja, ocorre apenas em um dos membros, ocasionando a perda da força muscular e dos reflexos, mantendo a sensibilidade no membro atingido. Pode causar sequelas permanentes, como a insuficiência respiratória e, em alguns casos, levar à morte.

Por isso é tão importante vacinar! A “picadinha do bem” mantém seu filho protegido!

 

Fonte:

https://familia.sbim.org.br

http://portalms.saude.gov.br/

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.