SAIBA QUAIS SÃO AS VACINAS RECOMENDADAS PARA GESTANTES

SAIBA QUAIS SÃO AS VACINAS RECOMENDADAS PARA GESTANTES

As vacinas recomendadas para a gestante são comprovadamente seguras e eficazes para a mãe e seu bebê. São consideradas prioritárias, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), pois beneficia a mãe e o bebê, particularmente os menores de 6 meses de idade.

As infecções, quando acontecem durante a gravidez, trazem o risco de hospitalização e/ou a necessidade de uso de medicamentos que podem ser contraindicados nesse período. Além disso, são capazes de prejudicar também o bebê, provocando malformações congênitas e danos ao curso da gestação (abortos, nascimento prematuro, entre outros).  A vacinação pode prevenir algumas dessas infecções.

Os anticorpos maternos são muito importantes para o bebê nos primeiros 12 meses de vida, pois os protegerão até que ele possa ser vacinado e desenvolver suas próprias defesas.

 

Hepatite B

A vacinação protege de vírus da hepatite B, que causa inflamação no fígado, que pode cronificar e, nesse caso, provocar câncer ou cirrose. Se não foi vacinada antes de engravidar, a gestante deve iniciar o esquema o mais breve possível.

Caso não tenha terminado o esquema vacinal antes da gestação, pode dar continuidade na aplicação das doses restantes. Ao total são 3 doses da vacina contra a Hepatite B. A vacina não contém o vírus vivo, portanto causa a doença.

 

dT e dTpa

A vacina dT previne contra a difteria e tétano, e a vacina dTpa possui a mais o componente pertussis, bactéria que causa coqueluche.

O esquema completo para difteria e tétano são de 3 doses da vacina. Para as gestantes com esquema completo, deve ser aplicado após 20 semanas de gestação, uma dose da vacina dTpa, com o objetivo de possibilitar a transferência de anticorpos contra a coqueluche para seu bebê.

Por este motivo, a vacina dTpa é recomendada em cada gestação, garantindo anticorpos para o bebê e evitando mortes por coqueluche.

No entanto, se ela não se vacinou durante a gestação, deve se imunizar no pós-parto, o mais cedo possível, para evitar transmitir a infecção.

No Brasil, praticamente 100% das mortes por coqueluche são de menores de 6 meses. A vacinação de gestantes é a principal recomendação para mudar esse cenário.  O tétano neonatal foi eliminado das Américas devido vacinação de gestantes, mas, se pararmos de vacinar, a doença pode voltar.

 

Gripe

A vacina protege contra os principais tipos de vírus influenza, que provocam a gripe. A vacina não contém vírus vivo, portanto não causa doença. A vacina pode ser aplicada em qualquer fase da gestação, o mais cedo possível, inclusive no primeiro trimestre de gravidez, sendo uma dose anual.

As gestantes são consideradas grupo de alto risco para influenza (gripe). A cada ano, um número significativo é vítima da gripe e suas complicações.

 

Vacinas em casos especiais

Em situações específicas, as vacinas hepatite A, Pneumocócicas, Meningo ACWY, Meningo B e Febre Amarela, podem ser recomendadas.

São indicadas quando a gestante possui algumas doenças crônicas, como doença cardíaca ou pulmonar, diabetes, entre outras, ou quando ela está em áreas de risco para a infecção, durante surtos ou não, algumas vacinas adicionais podem ser prescritas pelo médico.

 

FONTE: http://vacinasparagravidas.com.br/

https://sbim.org.br/

Deixar um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.